Usuários se comportam de maneira diferente no Facebook e no Twitter. E esperam o mesmo das marcas

Pesquisa da Hi-Mídia realizada em parceria com a M.Sense mapeia o comportamento dos usuários de redes sociais no Brasil e as diferenças de postura e expectativa em cada uma

Enquanto a maioria acessa Facebook para falar com amigos e família e quer se relacionar com conteúdo das marcas, o Twitter é utilizado para atualização de notícias e seus usuários esperam descontos e promoções

As redes sociais estão mais presentes no cotidiano de seus usuários e são fortes mobilizadores de causas e tendências. Para saber como o internauta se utiliza de cada uma delas, a Hi-Mídia, maior rede de verticais premium do país, pertencente à holding digital do Grupo RBS, e a M.Sense, empresa especializada em pesquisa de mercado digital, realizaram um estudo em que mapeiam o comportamento do usuário de redes sociais no Brasil. Foram ouvidas 484 pessoas em todo o país.

Entre os entrevistados, 95% dos respondentes utilizam redes sociais. A rede mais acessada é o Facebook, ficando o Orkut na segunda posição.

Acessado por 86% dos entrevistados, o Facebook tem forte apelo para comunicação com amigos e familiares, segundo 81% de seus usuários. Já o Twitter, acessado por 32% dos pesquisados, tem como principal objetivo a atualização de notícias e acontecimentos para 58% dos entrevistados que possuem conta. As demais redes aparecem com percentuais menores de acesso, com 33% para o Google+, 22% para Linkedin e 16% para o Badoo e 10% para o Sonico. Uma parcela considerável dos pesquisados, 63%, afirmou ainda usar o Orkut.

A pesquisa aponta ainda que a frequência de uso e o local de acesso variam de acordo com a ferramenta. O acesso domiciliar é o mais comum entre todas as redes, variando de 83% a 93% de acordo com cada uma delas. Já no trabalho, 35% dos usuários de Facebook, 37% dos cadastrados no Twitter, 40% dos que possuem Linkedin e 22% das pessoas que têm Orkut disseram acessar suas contas.

Os usuários de Facebook ganham também no quesito mobilidade. Dos pesquisados que afirmaram possuir conta na rede, 23% acessam via celular ou outro dispositivo móvel, contra 25% do Twitter, 15% do Linkedin e 12% do Orkut. O tempo que os internautas passam conectados também varia. Cinquenta e sete por cento dos usuários de Facebook acessam suas contas mais de uma vez por dia e 20% disseram ficar conectado o dia todo. Com assinantes menos assíduos, o Twitter possui 12% dos usuários conectados o dia todo e o Linkedin, apenas 6%.

A pesquisa avaliou ainda a interação do usuário com marcas no Facebook e no Twitter. No primeiro, 57% dos usuários curtem alguma marca e buscam novidades sobre elas. Já no Twitter, a busca é sobre melhores oportunidades de compra e descontos. Entre os entrevistados, 57% curtem no Facebook alguma marca, sendo a Nike a marca mais citadas e 73% comentam sobre suas compras quando são surpreendidos tanto positivamente como negativamente. O uso das redes para comentar sobre compras é elevado (65%) e não se restringe às reclamações ou elogios a determinada marca.

As redes sociais devem ter papel relevante durante o ano de 2012 no que se refere a discussões políticas e nas eleições: 56% concordam que existe influência dos comentários nas redes sociais em assuntos sociais e políticos para abaixo assinados, mobilizações em prol de uma causa e eleições em 2012.

No Twitter, 55% dos entrevistados disseram apenas observar o que acontece na rede e apenas 25% disseram valorizar o número de seguidores e 32%, os retweets. A pesquisa apontou ainda que 60% dos assinantes usam a rede como forma de discutir assuntos sociais e políticos, contra 56% do Facebook. E

61% acreditam que o Twitter pode influenciar em um possível contato profissional, frente a 56% dos usuários do Facebook.

Outro ponto avaliado pela pesquisa foi a geração de conteúdo e o status social. O estudo identificou que 53% dos usuários de Facebook compartilham e interagem com os conteúdos publicados, além de valorizar muito este tipo de ação. Dentre os entrevistados, 48% afirmaram gostar de ser marcados em fotos, embora 50% se incomode em receber posts irrelevantes. A segurança também foi fator apontado pelos entrevistados e 40% deles disseram se sentir expostos na rede social.

Sobre a Hi-Mídia:

Fundada em 2005, faz parte da Holding Digital do Grupo RBS desde maio de 2011. Possui sede no Rio de Janeiro e escritório comercial e em São Paulo e conta com 110 funcionários. É a maior rede de verticais premium do Brasil, com 450 sites, e mais de 22 mil parceiros de mídia de performance. A empresa atende mais de 200 agências de publicidade no Brasil e na América Latina e é especialista em mídia segmentada.

Sobre a holding digital do Grupo RBS

Com sede em São Paulo, a holding digital do Grupo RBS, criada em 2011, concentra investimentos em três áreas: mídia digital, e-commerce segmentado e mobile. Já fazem parte da Holding as empresas Grupo.Mobi, Hi-Mídia, Guia da Semana, ObaOba, Predicta, Hagah e F*Hits. Está em fase de aquisição de novos ativos para fortalecer a atuação nas áreas.